Pesquisar

CASA DA ENY”, O PROSTÍBULO DE ENY CEZARINO

No início dos anos 1980, conheci a cafetina Eny Cezarino (1917-1987), dona da famosa “Casa da Eny”, na cidade de Bauru, interior de São Paulo. O prostíbulo já estava “fechado” e sobrevivia, ainda, para poucos. Lá aportavam - vez por outra - velhos amigos, convidados especiais e curiosos. Fui como editor, a convite de um amigo da cidade, memorialista, interessado em escrever e publicar um livro contando a história da Eny Cezarino e o seu “Eny’s Bar”. Fomos recebidos pela cafetina, na varanda próxima à entrada do salão principal, que dava acesso a um bar, com centenas de garrafas, formando um imenso painel de parede. Era um casarão decadente, mas belo e imponente. Conversamos, contamos “causos” engraçados, trocamos piadas – hoje proibitivas - sobre “putas”, “bichas”, “cornos” e “políticos”. Contei algumas do vasto repertório sobre o assunto preferido do meu avô paterno, João Batista de Paula, o Batista da Light. Foi hilário: tarde longa, alegre, deliciosa... Conversamos também sobre a edição do livro com sua biografia - estava precisando de dinheiro, foi o que ela me disse - e detalhes sobre o mercado editorial. “Vai falar tudo?”, perguntei. “Vou, eu juro”, respondeu. Recusei bebidas, mas aceitei tomar um suco de tomate. Eny Cezarino, na casa dos 60 anos de idade, levou-me para conhecer o casarão, com 40 quartos, saunas, restaurante, bares e salões de festas, já cansados de guerra e moucos de gemidos, tapas e beijos. No final da tarde, quase ao pôr do sol, para espantar o calor e seguir viagem de volta a São Paulo, mergulhei nu na piscina - com desenho de um violão - que ficava defronte da varanda, na entrada da casa. O livro, infelizmente, não saiu. Ficou inteiro dentro de mim. Eny Cezarino fugiu de casa, ainda adolescente, e passou a trabalhar como prostituta em cidades como São Paulo, Porto Alegre e Paranaguá. Na década de 1940, passou a trabalhar na “Pensão Imperial”, em Bauru, prostíbulo que mais tarde comprou e gerenciou. Na década de 1950, abriu o “Eny’s Bar”, transformando-o num dos prostíbulos mais famosos do Brasil, atraindo celebridades, milionários, políticos e presidentes. Em 1983 perdeu o “Eny’s Bar". Morreu pobre, em São Paulo, no dia 24 de agosto de 1987, aos 69 anos de idade.

19.12.2021