OS ESCRITOS PROIBIDOS DE TOT, FILHO DE RÁ, PROTETOR DOS POETAS

TOT - filho do deus Sol, Rá, - é o deus do conhecimento, da sabedoria, da matemática, do tempo e da música. É aquele que mantém a ordem - a magia - no universo. Foi o encarregado de inventar a “escrita” entre os egípcios e de iluminar e proteger os poetas. É representado por um babuíno, animal que o acompanha sempre. TOT é homem com cabeça de íbis, uma ave. Compreende - com sabedoria - todos os mistérios da mente humana. Em muitas representações aparece ao lado de uma balança: o “equilíbrio” espiritual no momento do julgamento. TOT pesava a alma do morto antes de ele ir a julgamento. Cabia-lhe examinar e determinar a dignidade do morto: julgar seus sentimentos e propósitos. Era responsável por anotar - nos versos - o resultado de cada julgamento. Com base no peso da “balança” julgava se o morto tinha se conduzido bem ou não e se ele havia tido uma vida digna e honrada. TOT - é o que dizem - exerceu, também, o cargo de secretário das mais obscuras divindades: maiores e menores. Um papiro escrito há 33 séculos conta a história de como o demônio Nefer Ka Ptah encontrou o "Livro do conhecimento e da sabedoria" do deus TOT", submerso num rio, protegido por serpentes e escorpiões. Copiou-o com um sopro, encharcou-o na cerveja e depois o bebeu adquirindo, instantaneamente, todo o saber do mundo, tudo quanto é dado saber a um deus. TOT, ao se inteirar do roubo do livro, regressou dos umbrais do tempo - matou o demônio Nefer Ka Ptah - e recuperou o livro. O papiro com a "saga" pode ter sido destruído ou queimado por volta de 360 a.C. Dizem ainda que TOT - na cidade de Alexandria e na matemática do tempo - se converteu no corpo de Hermes Trismegisto (o três vezes grande, legislador egípcio e filósofo, que viveu na região de Ninus, por volta de 1.330 a.C.) e ajudou a iluminar 36 livros sobre teologia e filosofia, além de seis sobre medicina, todos destruídos após sucessivas invasões ao Egito. Para cada livro “queimado” ou "destruído" pelo demônio Nefer Ka Ptah, o deus TOT coloca na “balança do tempo” um novo poeta - que, desavisado de tudo - segue iluminando o mundo da humanidade.

21.05.2021