CAMARÁS, CÓRREGO DAS PACAS, ÉBRIO E MACUNAÍMAS

“Camaragibe” significa "rio dos camarás" (camará: a planta + rio) arbusto que cobre grandes áreas nas Américas Central e do Sul, seu habitat natural. Do “Memorial da América Latina” (Barra Funda, São Paulo) avistei - do outro lado da Avenida Pacaembu (córrego das pacas) - uma pequena praça até então “não notada” por mim. Desatenção! Atravessei a Avenida Pacaembu, subi a Rua Mário de Andrade, entrei na Rua Lopes Chaves (lado oposto à casa onde viveu Macunaíma) e entrei à esquerda, na Rua Rio dos Camarás, mais conhecida como Rua Camaragibe, acesso ao meu destino: Praça Vicente Celestino (Antônio Vicente Filipe Celestino, 1894-1968). Sombra, silêncio, bancos e muita paz. Bebi água do ébrio. Na cabeça - lembranças da vida - e no coração: versos de infortúnios: “Tornei-me um ébrio na bebida, busco esquecer aquela ingrata que eu amava e que me abandonou / Apedrejado pelas ruas vivo a sofrer / Não tenho lar e nem parentes, tudo terminou / Só nas tabernas é que encontro meu abrigo / Cada colega de infortúnio é um grande amigo / Que embora tenham, como eu, seus sofrimentos / Me aconselham e aliviam os meus tormentos...” São Paulo é infinita! Pacas, camarás, macunaímas, ébrios e memórias. Celestinas.

04.04.2021