Comer presunto e andar de bonde de graça!

Comer presunto - pela primeira vez na vida - e andar de bonde de graça! Foi o que aconteceu durante quatro dias em Natal, capital do estado do Rio Grande do Norte. Isso em 1935, quando, oficialmente, o estado foi comunista. Após um levante militar a capital potiguar caiu nas mãos dos rebeldes que assumiram o poder com apoio do Partido Comunista Brasileiro (PCB), liderados por Luís Carlos Prestes que - é o que dizem - foi pego de surpresa. Ainda não é hora! Sob o lema "pão, terra e liberdade", os revolucionários almejavam dar o pontapé inicial para a instalação de um regime soviético no Brasil. Lendo sobre “os estratégicos” do levante: tomar a central elétrica, a estação ferroviária e as centrais telefônica e telegráfica. Primeiras medidas do Comitê Popular Revolucionário: destituição do governador, dissolução da Assembleia Legislativa, saque dos cofres da agência do Banco do Brasil (parte do dinheiro foi distribuído à população) e extinguir as tarifas do transporte público. O povo adorou a novidade e o levante virou uma farra potiguar: dinheiro, bebida, presunto fresco e transporte de graça! Isso um aparte (comentário) e nada mais. Agora voltando leitura curiosa sobre a historiadora teuto-brasileira Anita Leocádia Benário Prestes, filha de Olga Benário (militante comunista alemã de origem judaica) e Luís Carlos Prestes (militar e político comunista, líder da Coluna Prestes).

07.09.2020