40 ANOS DE MIM MESMO

RELÓGIO DE SOL (Poeco, 1980) foi o meu primeiro livro de poesias publicado em coautoria com a escritora e editora Thereza Christina Rocque da Motta. Antes, havia publicado poesias na revista POETAÇÃO (FAU-USP, 1973) e nas antologias literárias intituladas ENSAIOS, do Grupo Poeco. Foi o primeiro de uma lista hoje de 23 títulos e mais de 45 edições. São, portanto, 40 anos! A data ia passar batida se não fosse um alô da Titina (Thereza Christina). SINE SOLE SILEO surgiu quando nem pensávamos em algo pronto, que pudesse marcar um tempo distinto e próprio. Na época “babávamos” encontrar para o livro um título inédito e diferente. Único. Santa inocência de novos! Cabe lembrar que na época ainda não existia o Dr. Google e tudo era muito difícil. Foi surpresa depois de algum tempo, lendo a biografia do poeta Mário Quintana, saber de uma publicação sua como o mesmo título e mais, publicada em 1956, ano do meu nascimento. Relendo a dedicatória encontrei nomes do coração de uma vida inteira: Stella Garrafa Serra, Ricardo Brancato, Cida Guastelli, Tommaso Franzese e Odilon Soares Leme. Nossos eternos incentivadores! A obra tem um preâmbulo do inesquecível e respeitadíssimo Carlos Burlamáqui Kopke. Poema Relógio de Sol: “mágico deslize que percorre os traços do corpo, as linhas da mente, a pequena imensidão da vida. Pontos negros, alertas, olhos de um rosto cansado, milenar. Sombra fria que por alguns instantes esconde o único alvo humano. Compasso lúcido, da vírgula flutuante que ressurge radiante, glorificando a velhice da noite.”

02.09.2020