Dictio Vate era um engodo nas palavras!


Dictio Vate era um engodo nas palavras. Misturava tudo: expressões, frases e aloegos. Pensava uma coisa e dizia outra. Vivia encrencado e com a cabeça no prego. Quer morrer? Não. Então melhor ficar calado e não abrir mais a matraca. Um segredo: Antes de soltar a língua “mastiga” as ideias no céu da boca. Salivar! Salivar muito! Depois Cospe. E funciona? O Ambrogio Calepino disse que eu sou um dislexo compulsivo. Dislexo? Isso. Que sofro de transtorno que afeta minhas habilidades de leitura e linguagem. Calepino? O italiano maluco oficial da tipografia. Doido de chumbo. Dizem - não sei se é verdade - está trabalhando na edição de um dictionarium. Quem disse isso? A fofoqueira da Verbete, mulher do Gutenberg. Outro garrancho. Disse que “suga” as palavras da boca do povo. Um ladrão letrado! Afana as palavras e depois vomita tudo na caixa da Gorda. Gorda? Sim. A prensa móvel da tipografia. Dictionarium? Um engodo alfabético. Algo assim. Dizem que incorporou o espírito de um chinês de nome Hou Chin. Pai do primeiro Dictionarium. Dictio Vate, você está dislexando? Juro que não. Posso cuspir uma ideia? Já salivou? Já. Então pode.

03.07.2020