Historinha de morrer de morte

Historinha de morrer de morte. Fulano era um conhecido. Morreu de morte. Era amigo do amigo e pronto. Não era da família, do trabalho, da infância e muito menos do pedaço. Sicrano pior ainda. Também morreu de morte. Era alguém de outra turma, rua, cidade país e tempo. Mais distante impossível. Mais que o próprio Fulano de morte. E Beltrano? Pior. Muito pior. Morreu de morte. Alguém que não existia. Um número entre outros. Um Indivíduo elementar. Um sem história, sem rosto e nada de coração. Um desalmado. E nós - vamos morrer do quê? Dos amigos, dos parentes, dos irmãos, dos nossos pais, dos nossos filhos, avós ou da morte da própria vida?


21.05.2020