Deus Barbudo

Deus barbudo. Não gosto de colocar deus no meio da história. Eu tenho o meu e nem sempre estamos do mesmo lado. Ele sabe que sou teimoso e vez por outra cabeça dura. Já conversamos sobre isso e ele não deu bola sobre o assunto. As coisas são assim mesmo, disse. Sorriu e deu a conversa por encerrada. Não insisti. Melhor assim. Perguntar o quê? Não gosto de conversa mole e nem de papo furado. Ele - o virtuoso - também não. Relação onipresente! Uma estrela cadente. Vez por outra: risca o céu. Deus silencioso. E não adianta acender velas. Rezo por rezar. Bebo água benta e coleciono santinhos de fé. Hoje foi dia de purgatório: repleto de coisas inesperadas. Não sou adivinho, leitor da sorte e nem tenho bexiga de cristal. No máximo simpatia. Pergunta ao meu deus: você sabia do inesperado? Não. Você não é deus? Deveria saber, provoquei. Meu deus odeia críticas e não gosta de ser desafiado. Pavio curto. Criatura do capeta olha aqui e vê se me escuta: se soubesse não seria algo “inesperado”. Destino é divindade do Pai. Relaxa. Amanhã tem mais. Muito mais mesmo.

22.05.2020