São Paulo Sitiada?

Não sou engenheiro e nem arquiteto urbanista. Quem me conhece sabe que fujo de obras, consertos e reformas. Conheci Niemeyer por acaso e desde criança tinha apenas uma certeza quanto a minha profissão: não seria um engenheiro! A cidade de São Paulo é conhecida pelo seu grande número de viadutos, pontes e túneis. Em 2012 (data da última vistoria) foram identificados 571 deles com problemas. Até hoje nada ou quase nada foi feito. A situação é de risco e colapso. Olhando o mapa da cidade, hoje com 22 milhões de habitantes, temos a FEPASA com suas quatro grandes ramificações, os rios Tietê e Pinheiros e as represas Billings, Guarapiranga e Riacho Grande. Para entrar, sair e circular na Cidade depende-se de viadutos, pontes e túneis. Dois deles (Ponte de acesso à Dutra e o “sem nome” da Marginal do Rio Pinheiros) foram interditados. Até para acessar o Rodoanel Mário Covas e dar um rolê pela metrópole, depende-se dos viadutos, pontes e túneis. São Paulo sitiada? É o que parece.