Rugando rua Acima

“Ruga” é caminho. Direito de ir e vir. Bom pra gente, pra cachorro e até pra brincar de poste e ficar olhando o mundo dos outros. Rua é sorvete de limão, corrida de rua, beijo na boca, esbarrões, olhares, desejo, sorte de tudo que é vida, que passa indo e vindo. Rua é passarinho: voa destino, voa passos, voa lembranças. Nela tudo acontece: dia e noite. Rua é janela aberta, jardineira de margaridas, luz que se apaga, porta que bate com o vento, criança que chora, sacolas pra lá e pra cá, travessia. Hoje foi assim, diferente de tudo: esbarrei com um encontrão. Então, acordei. Não havia percebido que estava “rugando” rua acima, rua abaixo, perdidamente dentro de mim.