A Palavra “matar” anda solta na Web

A palavra “matar” anda solta na web. Está em tudo que é lugar da rede. Até nos pensamentos e ideias de paz. Estava lendo sobre ismos (sufixo que exprime a ideia de fenômeno linguístico) para um livro que estou escrevendo e acabei chegando aos morfemas (menor parte, dotada de significado, que constitui uma palavra), também conhecido como radical, que é o núcleo que abriga a significação externa da palavra. Perdi tempo nos sufixos verbais. Ma (mal) + a(r) de afastamento? Afastar o mal? Seria isso. Cadê meu amigo Pasquale? Ficamos na foto, no papo furado e acabei esquecendo de perguntar sobre os ismos, os fonemas e os radicais livres. Alguém sabe? A história toda me fez lembrar de um texto que escrevi nos anos 80 para a Yakult sobre maçãs. Má (que se opõe ao que é bom; ruim) + sã (saudável, bom). Algo assim: depende de você! O bom não era o dinheiro que pingava a cada safra e sim as caixas de maçã que chegavam – de surpresa – na boa morada.