BANQUETE NA CASA DE ÁGATON

Platão era mutável e não gostava de “decoreba”. O conhecimento deve ser absorvido pela compreensão e não pela mera repetição! E o simpósio? Na casa de Ágaton: para celebrar sua vitória no concurso de tragédias. E os convidados para o “banquete”? Fedro, Pausânias, Erixímaco, Aristófanes, Sócrates e Alcibíades. E o que cada intelectual vai defender? Suas tragédias! Vão delirar sobre: amor, amizade, existência, vida e morte. E Platão? Não vai ao banquete. Já avisou. Anda ocupado com suas ideias - fundamentalistas - de abrir sua própria academia. O Apolodoro - moço bom com as palavras - vai guardar tudo nas nuvens e depois fuxica o melhor da festa nos seus ouvidos. Platão - mutável que só ele - vai fingir escutar e depois escrever o que lhe passar na fronte extensa. Sabia que o nome dele verdadeiro é Arístocles? Não sabia. Platão é apelido. Naquela noite na casa de Ágaton comeram e beberam em excesso. Dizem que o simpósio depois das considerações terminou em “bacanal”. Foi o retratista e pintor Anselm Feuerbach que me contou a história. O único sóbrio no banquete!

28.12.2020