Colecionador de Cartões de Visita

Sou um colecionador. Outro dia descobri que - também - coleciono cartões de visita. Guardo-os em pastas. Esse morreu! Não importa. Deixa ele no lugar dele. Não cabe mais nada na pasta. Está cheia! O que faço? Compra outra pasta. Certo. Olha os detalhes do cartão: papel nobre, impressão em relevo, corte refinado... Bonito mesmo. E esse aqui? Qual? Todos de Solange! Qual deles jogo fora? Nenhum. Sr. João são cinco cartões da mesma pessoa. E daí? Olha com atenção. Viu? Cada cartão é de uma empresa diferente. Nossa! É mesmo. Outra raridade. Algum cartão esquisitão na coleção? Vários. Olha esse: Benê Beneplácito - Consentidor e Cuidador Benevolente. Doideira. Outra raridade. Benê morreu jovem. Lamento! Acidente de bike - sem freio - ladeira abaixo. Parou debaixo de um ônibus na Lapa. O que significa Beneplácito? Consentimento. Apoio. Ajuda. Algo assim. Sei. E cuidador benevolente? Disposição favorável, consentimento, boa vontade. Não entendi. Benê Beneplácito era um Consentidor Benevolente. Um bom profissional. Gostava dele. Trabalhava no serviço funerário. Cuidava da papelada, dos trâmites legais, sugeria o tipo de caixão, as flores, coroas, velas especiais, santinhos, encomendava a reza, embelezava o morto, essas coisas. Sei. E o cartão? Uma gentileza. Entregou e disse: Para quando o Senhor precisar! Guardei. Foi o que fiz. Nunca precisei usá-lo. Vida benevolente que segue. Sorte! Melhor assim. Preciso de dinheiro. Pra quê? Comprar uma pasta nova para os cartões.

12.06.2020