História pra boi dormir sobre o livro

O povo sumério que adorava brincar com argila inventaram o livro, isso por volta do ano de 3.200 A.C. na Mesopotâmia, atual Iraque. Publicavam “poesia” e vez por outra, leis, assuntos administrativos e religiosos. Isso explica a grande quantidade de poetas mundo afora. É sabido que poeta é voador, nômade de versos e um inquieto. Foi pensando na portabilidade e na convergência das coisas por um produto essencialmente “portátil” que inventaram o papiro (obtido a partir de uma planta egípcia) e o pergaminho (do couro de animais). O papel chegou à Europa, trazido da China, por mercadores árabes no século 12. Os livros até então eram manuscritos, copiados por monges analfabetos. Um exemplar levar até mais de um ano para ficar pronto. Foi quando alguns poetas se revoltaram e se tornaram gráficos, editores e livreiros. Gutemberg foi o primeiro, isso no ano da graça de 1450. Não satisfeito com o tempo gasto para produzir suas edições inventou a prensa e os tipos móveis. A primeira obra impressa por ele foi a Bíblia que, em pouco tempo, o levou a falência.