Fogo de Palavras

Tragedia! Nosso amado Museu da Língua Portuguesa: nós povo, amantes da língua, nós leitores, escritores, poetas, músicos, artistas, gráficos, professores, editores, livreiros, nós alunos, grafiteiros, jornalistas, nós crianças, acadêmicos, museólogos, teólogos, nós filósofos, linguistas, nós gente, vamos reedificá-lo, refazê-lo, reerguê-lo, reorganizá-lo, reestruturá-lo que não seja imortal, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure!