Eu e as Descobertas do Brasil

Eu e as descobertas. Quem descobriu o Brasil? Bra, bre, bri, bro, bru! Foi assim. Época de infância, lugar de risadas e de inocência casual. Não foi Cabral! Não foi Pedro! Não foi Álvares, Foi Vicente Pinzón! Pisa aqui, pisa acolá, pisa! Brincadeiras: quem lembra? Dizem que o moço Pinzón atingiu o Cabo de Santo Agostinho no litoral de Pernambuco, no dia 26 de janeiro de 1500. Antes do carnaval? Impossível. Aqui “no latifúndio dos papagaios” nada acontece de fato antes da folia. Calor, preguiça e Urupês. Penso no Jeca Tatu. Bonzinho, abandonado e doente. Bra, bre, bri, bro, bru! Isso explica a deixa do congresso, com anuência do supremo ego, terem mudado a data do descobrimento do Brasil para 22 de abril. Sobrou para o Cabral. Pinzón (isso quase ninguém sabe) foi codescobridor, junto com Colombo, da América de Donald. Era capitão da caravela La Niña, uma das três embarcações da expedição de Colombo. Sorte “nossa” que no ano de 2020 a folia vai cair no mês de fevereiro. Adoro carnaval de máscaras. Ainda não escolhi a da vez. Tô aqui e acolá entre Pinzón, Toffoli ou Weintraub?