Dos Olhos Seletivos

Dos olhos. Do que neles são seletivos, memórias, escolhas e opções. O escuro cativa e muito. O som de tudo esta além da conta. Parece que o mundo grita. Surdez das orelhas? Assusta pensar que é assim. No ensaio sobre a cegueira (Saramago) escutei pássaros e música. Das memórias: o eu menino, no cerol, danado de tudo. Das escolhas: tudo igual e novo. A vida continua irresistível. Das opções: certeza que a felicidade está dentro das palavras e o poema-sem-fim vive o seu melhor verso. Das travessias: onde estarão tudo e todos? No lugar das escolhas e nas prioridades que mudam sempre.