Das Eficiências e das Estratégias

Das eficiências e das estratégias. Gestor (aquele que gerencia bens e negócios de outrem) é “ocupação” até certo ponto nova no linguajar de políticos, administradores e executivos. Até arrisco dizer: a palavra “gestão” está na moda e na ponta da língua! Prefiro pensar em “Intendência”, por similaridade e abrangência, principalmente em crises agudas e guerras. Em 76 (ano do meu serviço militar obrigatório, no IIº Batalhão de Guardas) e por iniciativa própria, li e estudei sobre a importância do assunto. O perfil do “intendente” (cargo de quem organiza os negócios ou administra os bens de outrem) é de suma importância e parte do sucesso depende dele e do seu time. A logística (raciocínio) cabe, simplificando o post, pensar e aplicar conhecimentos. Tenho pinçado aqui e acolá o que está sendo feito na “intendência” ou no “gabinete de crise” de combate ao novo corona-vírus. Aprovo as medidas e as reservas (exageradas ou não). Fica o alerto dos pontos, ainda ausentes ou não divulgados, pelos intendentes e gestores: segurança contra saques e invasões (farmácias, hospitais, supermercados, correios e bancos), proteção para transporte, estradas, rodovias, portos e aeroportos, responsáveis pelo abastecimento de remédios, alimentos e combustíveis. E por fim, não menos importante, o mantra de Sun Tzu em "A Arte da Guerra": Intendência é retaguarda! É com ela que se ganha uma guerra!