Apollon 11

Apollon (deus grego) era filho de Zeus e Leto. Foi Homero quem o imortalizou na ilíada como sendo o deus da divina distância (protetor dos céus). Vestido de nu, no auge de seu vigor, simbolizava-se com a serpente, o corvo e o grifo (criatura alada com cabeça e asas de águia e corpo de leão). Apollon foi do bem e também do mal e continua presente na cabeça do tempo até hoje. Na condição de protetor dos céus Apollon pisou na lua no ano da graça de 1969, na epopeia alada do grifo 11. Homero: Como devo te cantar, tu que por tudo que és mereces o louvor? Poema épico? Divina distância... Eu menino no Ceará colado na TV preto e branco sonhando um dia ser igual Neil Armstrong e compor - por quê não? – a derradeira ilíada dos céus: "Um pequeno passo para um homem, um salto gigantesco para a humanidade".