Apalavrar e pactuar!

Apalavrar e pactuar! Duplicidades de dois! Igual foto de lambe-lambe: preto no branco. Onde usar tinta e papel? Lugar nenhum. O apalavrado se basta. Fio de bigode, cumplicidade, crenças. Isso basta e voa. Vale o olho. Vale o dedo do vento. Sangue apalavrado do pacto? Não. Ato verbal do trato. Esqueceu? Nunca. Jamais! Nada compõe os iguais. Nada justifica os tratados do tempo. Simples igualdade. Pactuados então? Sim. Apalavrados. Colados na estampa do lambe-lambe. Memória. Duplicidades da vida. Em algum lugar do hoje: o sinal.