Pesquisar

OTTAVIANO DE FIORE, FHC E MINISTÉRIO DA CULTURA

Das amizades do livro e da leitura. Conheci o napolitano Ottaviano de Fiore (1931-2016) no Ministério da Cultura, em Brasília-DF, quando eu era Conselheiro das Áreas de Humanidades e Integradas, da Lei Rouanet. No governo de Fernando Henrique Cardoso, Ottaviano foi Secretário do Livro e Leitura (1995 a 2002), dedicando-se à abertura de inúmeras bibliotecas por todo o país. Um Garibaldi (Giuseppe Garibaldi, 1807-1882), herói de dois mundos. O seu trabalho na Secretaria marcou época. Sempre que possível, conversávamos sobre livros e formação de bibliotecas. Aprendi muito. Um dia – mais próximos e confidentes – conversamos sobre sua amizade com FHC, sobre Ibiúna e o ano de 1968, quando do 30º Congresso da UNE - União Nacional dos Estudantes. Na ocasião, ao menos mil estudantes foram presos pela Força Pública e pelo Dops - Departamento de Ordem Política e Social. Nosso último papo aconteceu em 2003, no Museu da Língua Portuguesa, na cidade de São Paulo. “Abraço, 'chefe'.'' Era assim que o recebia, carinhosamente. Ele me olhava e sorria. “Bom te ver, Scortecci!” Para nós – Garibaldis – nada melhor que estes dois mundos: livros e bibliotecas. Dizia, sempre: “A biblioteca foi uma espécie de pátria para muita gente”. Aqui com os meus ossos: não sei o que seria de mim sem eles.

21.12.2020