Pesquisar

CASA DO SABER E O “X” DA QUESTÃO

Hoje no “divã de todos nós” – rádio CBN – com o escritor e psicólogo Rossandro Klinjey, conheci mais um trava-língua: “desidealizado” – o que deixou de ser idealizado ou perdeu o caráter de ideal. O programa de hoje foi um repeteco, rico e interessante. Rossandro comentou sobre expectativas frustradas e algoritmos e recomendou o livro “Algoritmos da Opressão”, da doutora em inteligência artificial e escritora californiana Safiya Umoja Noble. No post de hoje pretendia “poetar” sobre “desidealização” e também falar sobre essa obra – que ainda não li – e que acabou entrando na minha lista de necessidades. Acontece! Pretendia, foi o que disse. Pesquisando sobre algoritmos, encontrei a biografia do matemático, astrônomo, astrólogo, geógrafo e escritor persa Alcuarismi (Abu Abdalá Maomé ibne Muça ibne Alcuarismi, Corásmia (atual Quiva, Usbequistão), c. 780, Bagdá - Iraque, c. 850), erudito na Casa da Sabedoria (ou Casa do Saber), biblioteca e centro de traduções estabelecido à época do Califado Abássida, em Bagdá, no Iraque. No seu livro “Da Restauração e do Balanceamento”, Alcuarismi apresentou a primeira solução sistemática das equações lineares e quadráticas. É considerado o fundador da Álgebra – junto ao matemático grego Diofante, de Alexandria. No século XII, traduções para o latim de sua obra sobre numerais indianos apresentaram a notação posicional decimal para o mundo Ocidental. O radical das palavras “algarismo” e “algoritmo” vem de “algoritmi”, a forma latina do nome do erudito persa. Além do vocábulo português “algarismo”, seu nome deu origem ao espanhol “guarismo”, que, ao passar para o francês, tornou-se “logarithme” e deu origem ao termo moderno “algoritmo”. Alcuarismi trabalhou na Casa da Sabedoria, biblioteca formada pelo califa Harune Arraxide, na qual foram reunidas todas as obras científicas da Matemática. O conceito de "catálogo de biblioteca" foi introduzido nessa e em outras bibliotecas islâmicas medievais, nas quais os livros se organizavam por gêneros e categorias específicas. A incógnita nas equações algébricas era denominada pelos matemáticos muçulmanos como “xay” (“coisa”), notadamente na álgebra de Ômar Khayyam, que, ao ser transcrita “xay” pelos espanhóis, deu origem ao “X” da álgebra moderna. A Casa do Saber foi destruída durante o cerco de Bagdá, em 1258, pelos mongóis. Antes do cerco, no entanto, perto de 400 mil manuscritos foram resgatados pelo polímata persa Tuci (Naceradim de Tus) e levados para Maragha, no Irã.

22.05.2022