Pesquisar

PERDER PAÍSES E A ÂNSIA DE TER UM FIM

O poeta, filósofo, dramaturgo e tradutor português Fernando Pessoa (Fernando Antônio Nogueira Pessoa, 1888-1935) nasceu em Lisboa, e é considerado o mais universal poeta português. Pessoa foi educado na África do Sul, numa escola católica irlandesa. Dominava o idioma inglês e foi nele que escreveu o seu primeiro poema. Das quatro obras que publicou em vida, três são na língua inglesa e apenas uma em língua portuguesa: “Mensagem” (44 poemas, em 1934). Como poeta, escreveu sob diversas personalidades (heterônimos): Ricardo Reis, Álvaro de Campos, Alberto Caeiro e outros. “Viajar! Perder países é" um dos seus mais belos poemas. Quem o lê viaja! Quem parte não fica. E por “não pertencer nem a mim” eu sou muitos. -

- VIAJAR! PERDER PAÍSES! -

Viajar! Perder países! 

Ser outro constantemente, 

Por a alma não ter raízes 

De viver de ver somente! 

Não pertencer nem a mim! 

Ir em frente, ir a seguir 

A ausência de ter um fim, 

E a ânsia de o conseguir! 

Viajar assim é viagem. 

Mas faço-o sem ter de meu 

Mais que o sonho da passagem. 

O resto é só terra e céu. 

Fernando Pessoa