Pesquisar

FOLIAÇÃO DE SANTA WIBORADA – PATRONA DOS BIBLIÓFILOS

A palavra “encadernação” deriva de “caderno”, do latim “quaternus”, que significa “de quatro em quatro”. As quatro partes em que se dobrava um fólio - folha dobrada ao meio de uma folha maior - para constituir um caderno. Wiborada, a freira beneditina, bibliotecária e encadernadora de livros, nascida no ducado da Suábia, hoje Suíça, e falecida no ano de 926, tinha o dom da profecia e paixão pelos livros. Em 925, previu uma invasão húngara em sua região. Seu aviso premonitório possibilitou que os religiosos dos mosteiros de Saint Gall e Saint Magnus escondessem os livros da biblioteca do mosteiro - enterrando-os - e escapassem para cavernas nas colinas próximas. Os manuscritos mais preciosos foram transferidos para a Ilha de Reichenau (localizada no Lago Constança, no sul da Alemanha), considerado um lugar seguro. Em 926, sua premonição se concretizou, e Wiborada, que se negou a fugir, pagou com a própria vida, quando foi brutalmente assassinada. Seu corpo, mutilado e desfigurado, foi abandonado em uma pequena elevação, onde mais tarde encontraram enterrados os livros intactos. Em 1407, o Papa Clemente II a proclamou santa. Foi a primeira mulher a ser canonizada na história. É patrona dos livros, dos livreiros e dos bibliófilos. Na arte, ela é comumente representada segurando um livro, para representar a biblioteca que ela salvou, e um machado, que significa a forma de seu martírio.

04.08.2021