Pesquisar

SEGURANÇA POR OBSCURANTISMO: IMPOSSÍVEL RASGAR, IMPOSSÍVEL ESQUECER!

Johannes Trithemius (João Tritêmio) é o pseudônimo do polímata e monge beneditino alemão Johannes Heidenberg (1462-1516), que se tornou ilustre na Renascença Alemã como lexicógrafo, cronista, criptógrafo e ocultista, influente no desenvolvimento do ocultismo moderno. Foi, também, mestre de Henrique Cornélio Agrippa - intelectual polímata e influente escritor do esoterismo da Renascença, 1486-1535 - e de Paracelso, pseudônimo do médico, alquimista, físico, astrólogo e ocultista Philippus Aureolus Theophrastus Bombastus von Hohenheim, 1493-1541. “Tritêmio” é uma lusitanização de “Trithemius”, alatinado da sua terra-natal: aldeia alemã de Trittenheim. João Tritêmio criou a esteganografia (do grego "escrita escondida”), técnica que consiste em esconder um arquivo dentro do outro, de forma criptografada (forma de segurança por obscurantismo). O primeiro uso registrado da palavra data do ano de 1499, no livro de sua autoria intitulado “Steganographia”. Ele ficou conhecido também por suas pesquisas sobre ocultismo e magia. Desenvolveu um método secreto que possibilitaria influenciar e dominar a mente de qualquer pessoa, por mais que ela tentasse resistir ao domínio. O manuscrito com o método secreto foi destruído após a sua morte. É importante frisar a diferença entre criptografia e esteganografia. Enquanto a primeira oculta o significado da mensagem, a segunda oculta a existência da mensagem. A criptografia (em grego: “kryptós”, "escondido", e “gráphein”, "escrita") é uma área da criptologia que estuda técnicas da comunicação segura. Refere-se à construção e análise de protocolos que impedem terceiros de lerem mensagens privadas. Muitos aspectos em segurança da informação, como confidencialidade, integridade de dados e autenticação são centrais para a criptografia moderna: comércio eletrônico, cartões de pagamento baseados em chip, moedas digitais, senhas de computadores e comunicações militares. Nos anos 1960 - menino de tudo - escrevi o meu primeiro “enigma” poético. Um alfabeto amoroso! Cada número secreto uma letra de números. Um infinito amor em papel. Impossível rasgar, impossível esquecer!

29.07.2021