Walt Whitman - Versos imitando os ritmos da fala!

Versos imitando os ritmos da fala! O poeta, jornalista e impressor Walt Whitman (1819-1892) é considerado por muitos, como o "pai do verso livre". Sua obra "Folhas de Relva" (Leaves of Grass) é considerada um marco na literatura universal. Uma curiosidade: a obra teve oito edições e foi revista e ampliada várias vezes. Uma obra - eternamente - inacabada! A primeira edição foi publicada em 1855. Não tinha o seu nome e apenas 12 poemas e um prefácio. A segunda edição ganhou o seu nome na capa e um total de 32 poemas. Entre eles o poema "Canto de Mim Mesmo". A terceira edição - já com 154 poemas - foi publicada em 1860. Em 1861 a editora foi à falência e sua obra pirateada. A quarta edição, com oito poemas novos, saiu em 1867. A quinta edição de “Folhas de Relva” saiu em 1870 e uma segunda tiragem em 1971 que incluía o poema "Passagem para a Índia” e mais 71 poemas, alguns dos quais inéditos. Em 1876 publicou a sexta edição, em dois volumes. Em 1880, publicou a sétima. A edição não foi distribuída e em seguida recolhida, por ordem do promotor público que a julgou imprópria. A edição só foi retomada em 1882 e com a inclusão de mais 20 poemas inéditos. A oitava edição de "Leaves of Grass" foi publicada no ano de 1889. Walt Whitman preparava a nova edição quando morreu por causa de uma pneumonia em 26 de Março de 1892. Vivi o mesmo drama com o livro de poesias "A Morte e o Corpo" (1984). A cada nova edição excluía poemas, incluía novos e reescrevia outros. Na quinta edição da obra - frustrado e inconformado - de não conseguir concluí-la - escrevi uma nota após o último poema: “Dilema literário para não julgar. Fazer da vida o poema sem-fim.” Primeira versão do meu “Viver é fazer da vida um poema sem-fim!”

08.09.2020