Memória Alfenim

Uma coisa puxa outra e mais outra. Assim é a memória Alfenim (doce muito popular no nordeste brasileiro feito de calda de açúcar concentrado). Hoje na FOLHA (Mercado, A-15) tomei ciência do anúncio feito pelo Facebook da criação da criptomoeda de nome Libra. O G7 (grupo dos 7 países mais poderosos do mundo) anda perdendo o sono e não sabe como lidar com o assunto. A croptomoeda entregaria grande parte do controle da política monetária de bancos centrais para empresas e organizações sem fronteiras. A questão – resumidamente – passa pelo poder do gigante da web e suas infinitas possibilidades no uso da Libra, rodando “livre e solto” no corpo do seu poderoso banco de dados. No buscador Google (ou indicador?) cheguei ao livro “Os Protocolos dos Sábios de Sião” (leitura imbecil dos anos 80) e no Diálogo no Inferno entre Maquiavel e Montesquieu (ainda não lido, felizmente). De Alfenim a Alfenim – nas proposições do indicador - cheguei ao mapa deste post sobre a fundação da República Florentina (1115-1532) e a história dos golpes e contragolpes da Família Médici. Mark Zuckerberg pensa “guardar” sua criptomoeda em Genebra, na Suíça. Eu não faria isso. Fica a dica: que tal Firenze?