Escriptorio da Mathematica

ESCRIPTORIO - Não escondo de “ninguém” que sou um apaixonado pelas palavras. Gosto de saber da origem e da evolução de cada uma delas. Estou lendo a coleção de Revistas PAN, que durante 10 anos (1935-1945) foi um dos maiores semanários do Brasil, com tiragem de 60 mil exemplares. Meu avô materno José Scortecci era o proprietário e editor. PAN que publicou “Triunfo” obra de estreia de Clarice Lispector (número 227 de 25 de maio de 1940) abrir espaço não só para escritores consagrados (Menotti Del Picchia, Benjamim Costallat e outros) mais também para escritores iniciantes e ilustradores de talento. Acima uma palavra de tirar o fôlego “escriptorio” (usado em Portugal até setembro de 1911 e morreu no Brasil durante a década de 1920) que é o mesmo que “escritório”. Post de publicidade da Casa Pratt, com endereço na Praça da Sé, 16/18. O texto é brilhante: “Não desperdice suas energias fazendo cálculos mentalmente ou a lápis, incorrendo, além disso, no risco de errar. Realize a tríplice economia proporcionada pela posse de uma machina de calcular DALTON, que lhe permite descanso cerebral, rapidez e exactidão mathematica. Qualquer que seja o cálculo, será exacto e infallivel. Para o seu escriptorio é um cérebro de sábio creado em aço, que jamais erra ou cansa”.