Em Algum Lugar da Cabala

Alquimia. Das combinações: voluntárias ou não! Das transmutações dos verbos copulativos (sujeito e suas características) e das palavras no papel: rabiscadas, nuas e ainda por chegar do nada. Alquimia das ordenações literárias. Das riquezas do texto. No “Elixir da Longa Vida” suas brevidades. Quimeras contra os males físicos e morais. Das pedras. Do filosofal. Dos segredos da panaceia e das simpatias. Remédio de remediar! Qual das mortes é tentação? Na praça dos homunculus o giro da cabala e o impróprio do clone. Do único - que somos nós - e de todos - o derradeiro. O quarto e último - dos princípios da pedra da cobiça – o temporal do desigual e da desigualdade. Até quando? Na estrofe final do poema do alquimista o incerto amanhã: rabiscado, nu e ainda impróprio. Sombrio. Desordenado em algum lugar da emanação divina.