Das Alavancas

Lembro-me - ainda menino de tudo - do fascínio que foi com um bastão de escoteiro improvisar uma alavanca para mover do solo uma grande pedra. Aventura inútil. Hoje, ainda escoteiro, não usaria bastões para multiplicar forças de remoção. Delicada natureza que se move em roldanas. Vida que se alastra? Içaria do alto o meu próprio dorso. Equilíbrio de mirar de algum lugar o caminho dos bastões de deus.